Em 1º discurso na volta do recesso, Rosemberg se solidariza com Olívia Santana e critica Sérgio Moro

Publicado: 06 de fevereiro de 2018

37899552292_6ef86df9d2_k

Em seu primeiro discurso na sessão plenária da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), nesta segunda-feira (5), o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) se solidarizou com a secretária estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Olívia Santana, após ela ter sofrido episódio de racismo.

O parlamentar petista destacou o ato de racismo ocorrido com a secretária de Estado, em um hotel, no sábado (3), quando ela participava do Baile de Carnaval do Rallye do Batom. Uma mulher se dirigiu até ela como se fosse cumprimentá-la, quando disse que a chefe da pasta não deveria estar ali e deveria “voltar para a favela”, pelo fato de ser “comunista”.

O deputado ressaltou ainda o que considerou um caso grave denunciado pela jornalista Dora Krammer, em sua coluna do final de semana. A profissional de imprensa escreveu que o juiz Sérgio Moro ligou para o presidente Michel Temer (PMDB) com o intuito de pedir ao mandatário brasileiro que ele intervenha junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte não mude o posicionamento que tem em relação aos condenados em segunda instância.

“Um juiz que se preze não pode ser considerado alguém com capacidade para julgar. (…) Como é que uma figura como Aécio Neves, totalmente com as comprovações de crime, é absolvido e o senado o reconduz à posição de parlamentar. E o ex-presidente Lula, que não tem nenhuma prova naquele processo, é condenado à prisão?”, pontuou Rosemberg.